Domingo, 24 de Agosto de 2008

O GOLPE DO SÉCULO

 Não fiquei admirado ao ler o 'Diário do Minho' hoje e ver lá uma notificação de um notário a dizer que foi feita escritura naquele notário da capela da Sra da Graça a favor da comissão fabriqueira por doação na década de 1900. São tantas as mentiras que se fica mal a qualquer pessoa, a um padre fica a dobrar, pois se vai para o altar apelar á fé ao amor á esperança, caridade, confrenatização etc.etc..e vem cá para fora espalhar a discórdia a mentira o ódio etc.etc.. não há mais nada a dizer. Mas se pensa que nós vamos ficar sentados á sombra da bananeira está muito enganado, pois o caso será entregue a um advogado em nome da confraría, pois a capela sempre foi pertença dos 'irmãos da Sra da Graça' e assim será se realmente houver justiça em Portugal. Mas para que vejam ao ponto que chega a mentira vejam a notificação que veio no jornal.
                                  NOTÁRIA
                  MARIA MARGARIDA GOMES DIAS AZENHA
                                  EXTRACTO
"Eu abaixo assinado António Pedro Domingues da Silva Passos, colaborador da Notária Maria Margarida Gomes Dias Azenha Com Cartório na Rua do Raio Edificio Visconde do Raio nº 205, 2º piso em Braga, e por ela devidamente autorizado para a práctica deste acto nos termos do nº3 do artº8º do dec-lei 26/2004 de 4 de Fevereiro, certifico que, por escritura lavrada neste Cartório no dia de hoje, exarada a fls. 68 e seguintes do,livro de notas nº 174 B, Padre José da Costa Araújo, solteiro, maior, natural da freguesia de Parada de Gatim, concelho de Vila Verde, residente na Rua do Matadouro Velho, nº 53, 3º Esqº, em Braga, portador do B.i. nº815239, emitido em 22/01/1992, pelos SIC de Braga e como tal legitimo representante da " Fábrica da igreja paroquial de Padim da Graça",NIPC 502 582 200, com sede na referida paróquia e concelho, pessoa jurídica de direito canónico com personalidade jurídica nos termos da Concordata entre a Santa Sé e a República Portuguesa, o qual outorga em representação da referida Fábrica da Igreja Paroquial, declarou que a sua representada é dona e legitima possuidora, com exclusão de outrem, do prédio urbano denominado "Capela Senhora da Graça", destinado ao culto religioso, com logradouro, sito no Lugar da Senhora da Graça, freguesia de Padim da Graça, concelho de Braga, com a superfície coberta de trezentos e sete metros quadrados e descoberta de quatrocentos e cinquenta e dois metros quadrados, a confrontar do Norte e do Nascente com António da Costa Vilaça, do sul com estrada nacional e do poente com Orlando da Silva Marques, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 40, sem valor mobiliário tributário atribuido, não descrito na Conservatória a que atríbui o valor de vinte e cinco mil euros, para efeito deste acto;
 Que o referido prédio foi doado á sua representada na primeira década de mil e novecentos, não se sabendo ao certo por quem, apesar de consultas feitas às pessoas mais ídosas da freguesia, e após buscas efectuadas em vários Cartórios desta cidade e periféricos e ainda no Arquivo Distrital.
 Que não é assim a sua mesma representada detentora de qualquer título formal que legitime o domínio do referido prédio.
 Que, não obstante isso, tem a justificante usufruído o referido prédio desde aquela data, designadamente utilizando-o como local de culto, procedendo à reparação do mesmo, limpeza e delimitação das suas extremas, administrando-o com ânimo de quem exercita direito próprio, pacificamente, porque sem violência, pública e continuamente, tudo sempre á vista de toda a gente e sem oposição de ninguém, fazendo-o de boa fé por ignorar lesar direito alheio e que, nomeadamente,é reconhecida por toda a população como sendo a Fábrica da Igreja Paroquial de Padim da Graça, a única e verdadeira possuidora de esse prédio, posse que foi sempre exercida no conhecimento e com intenção de estar a exercer os poderes correspondentes ao direito de propriedade sobre coisa própria.
 Que dadas as enunciadas caracteristicas de tal posse adquiriu o identificado prédio por usucapião-titulo este que, por natureza, não é susceptível de ser comprovado pelos meios normais.
 Braga e Cartório Notarial de Margarida Azenha, vinte e dois de Agosto de dois mil e oito."

sinto-me:
música: se queres ter paz, mostra as tuas armas.
publicado por Filipe Costa às 20:33
link do post | comentar | favorito
162 comentários:
De Anónimo a 26 de Agosto de 2008 às 00:58
Comentário apagado.


De Filipe Costa a 26 de Agosto de 2008 às 09:18
Gostei do teu desabafo, pois nota-se que tirando o sentimento de revolta que todos têmos, pela atitude tomada pelo padre em companhia daqueles 3 cobardes como dizes e bem, é um desabafo vindo do coração e de quem defende o que é nosso.
Gostava que mais gente não tivesse medo de dar a sua opinião, pois quem não deve não teme.
È lógico que o padre foi um cobarde ao tomar aquela atitude á rebelia de quase toda a gente e indo contra a vontade do povo da freguesia.
Uma das desculpas que ele já deu é que a capela têm que ser registada, até aí estou de acordo. Mas porque não registá-la em nome dos 'IRMÃOS DA SRA. DA GRAÇA' que tem uma confraria legítima que ainda há pouco foi eleita em sufrágio directo?
A capela é do Paço?
Foi o paço que deu o terreno para a capela?
Foi o Paço que a construíu?
Alguma vez o Paço deu alguma coisa para a sua manutençâo?
Alguma vez a comissão fabriqueira contribuíu para a sua manutenção e limpeza?
Onde é que a população reconhece a capela como pertencendo á fábrica da igreja?
Tenha é vergonha na cara ao tomar uma atítude destas e mais os seus súbditos, pois irão ser julgados pelo tribunal, pelo povo e pela justiça divina se a houver.
Esperemos pelos próximos capítulos.


De Alguém que não é da Graça a 27 de Agosto de 2008 às 23:12
Caso alguém tenha a escritura era favor colocar a mesma aqui no blog.
Para as pessoas analisar as falsidades ainda maiores existentes nesta, em comparação com este extracto do jornal.
Sem violência, limpavam, conservavam a Capela de Nª. Senhora da Graça e toda a população da Graça sabia, meu Deus quem é esta gente tão, tão sem verdade.
Lamento a boa fé de alguém que parte porque celebra Missa de costa para a Senhora da Graça, não é ninguém é um falso. Agora os 3 que cá ficam, velhos (mentalmente), naturais da terra, penso que devem ver de frente a Senhora da Graça. Que triste figura, não tem qualquer tipo classificação é da mais baixa relé.
Quem de direito, (Assembleia de Irmãos) deve urgentemente contestar este tipo de burla e processar estes malfeitores a todos os níveis, pessoal, judicialmente e deixo à discussão a sua expulsão de Irmãos, caso o sejam.
Lamento também a inércia dos Órgãos Sociais da Confraria de Nossa Senhora da Graça, porque no Domingo talvez fosse muito cedo, mas na Segunda Feira , 25/8 deviam reunir e tomar uma posição pública,
A falsa humildade muitas vezes é muito pior que a vaidade, penso que alguns elementos destes Órgãos Sociais já não têm condições para defender os bens de Nossa Senhora da Graça.
Lembro aos ignorantes que, quem zela pelos bens da Nossa Senhora da Graça é Mesa da Assembleia que representa os Irmãos, que não haja equívocos.

Alguém que não é da Graça, mas lamenta.


De Filipe Costa a 28 de Agosto de 2008 às 09:16
Olá amigo(a).
Antes de mais obrigado pelo seu comentário. Quanto á questão de colocar aqui a escritura eu já a li e práticamente é a cópia do que vem no jornal, acrescentando apenas a assinatura daqueles três padinenses. Estou de acordo com uma tomada pública da confraría o maís rápido possível, mas não nos queremos precipitar. Estamos á espera de um parecer de um advogado para sabermos em concreto quais os direitos que nos assistem para depois dar-mos conhecimento aos 'irmãos'.
Se os 'irmãos' acham que se justifica já uma assembleia, é só recolher o número necessário de assinaturas e dirigir-se ao presidente da assembleia e pedir essa assembleia extraordinária.
Quanto á expulsão de 'irmãos' dessas 4 pessoas também estou de acordo, pois não são dignos de se considerarem 'irmãos' da Sra. da Graça, até ficava melhor eles pedirem a demissão, mas isso pode ser feito em assembleia.
Quanto a falsas humildades, vaidades, capacidades etc..cabe aos 'irmãos' julgar a confraría que dentro das suas capacidades e limitações tudo fará para os defender.


De alguem que não é da Graça a 29 de Agosto de 2008 às 09:02
Obrigado pela publicação da minha contestação.

Vou só agora fazer mais um alerta, já não é só para os Orgãos Sociais da Nª. Srª. da Graça, mas sim para todos os Irmãos da Senhora da Graça, depois saio de cena pelas seguintes razões:

En pleno seculo XXI existir tanta ignorancia, falta de capacidade não conhecedora da Missão que estão incubidos, baratas tontas sem saber o que fazer e o lugar que ocupam, há que abrir os olhos ignorantes, leiam os V/Estatutos, outros de outras Instituições e Organismos a Lei Geral para abrir os Olhos;

Onde um Orgão execucito é comandante ou zelador do Patrimonio da Instituíção ou Organização, só na Graça;

Sendo uma organização como é a Confraria para alguem ter poderes para contestar, acionar etc.. tem que ser nomeado em Assembleia Geral de Irmãos, podendo até, ser nomeada uma comissão e que estes elementos não façam parte dos actuais Orgãos Sociais.

O tempo urge, fazer uma Assembleia para dar a conhecer alguma situação fora do normal pode ser de um dia para o outro. Agora esta para nomear o representante ou representantes, tem que correr o tempo legal, que por norma são 15 dias, para que os outros malfeitores não possam contestar.

A trama está feita, a inercia presente, já passaram quase 8 dias + 15 dias para nomeação, existe meia duzia de dias, a realidade é esta.

Agora, amanhã não digam que não sabiam, que não foram alertados, etc.. ou será que alguem dos Orgãos Sociais tambem é conivente com esta situação. Começa a ser altura de limpar a casa.

Alguem que não é da Graça, mas lamenta


De Anónimo a 1 de Setembro de 2008 às 17:50
Oh amigos, vocês realmente não têm mais que fazer, em todo o lado sem excepção, os edifícios destinados ao culto religioso, são das comissões fabriqueiras, e vem vocês dizer que é vossa, então eu também quero a capela para mim, ganhem juizinho, e vejam o que aconteceu aos de Merelim com a Capela de S. Roque. Vão mas é dormir que o vosso mal é sono e deixem o Sr. Padre e as testemunhas em paz, sim porque a capela não é deles, nem a escritura diz isso, só um burro é que lê as coisas dessa maneira, as Comissões Fabriqueiras são os Paroquianos, não sei qual é o problema dos "Irmãos" se calhar do mal e não da Sr.a da Graça como alegam ser. dahhhh


De N SOU DA GRAÇA MAS TB N QUERIA a 1 de Setembro de 2008 às 18:00
É pá, vocês são mesmo "tansos", onde já se viu, "a capela é do Paço?", mas onde é que isso está? pergunto eu? Quando não se sabe do que se fala mais vale estar caladinho que é para não mostrar a ignorância. Pelo amor da Santa, não da sr.a da graça pq se n a mulher até fica ofendida com as barbaridades que esta gente diz, Comissão Fabriqueira é da Paróquia, heelllooo, acordem.


De SOU DA GRAÇA a 3 de Setembro de 2008 às 18:00
Realmente não deves ser da graça, nem tens graça nenhuma e nem fazes cá falta, pois comentários como os teus não chegam ao céu. Acorda mas é tu e deixa de ser tanso e ignorante....


De n sou da graça mas tb n queria a 3 de Setembro de 2008 às 21:25
Graças a Deus sou de uma das zonas do país com as pessoas de um nível cultural e inteligência, e não estou a falar de Lisboa, mas de trás os montes, infelizmente tenho de estar colada a estas terriolas de baixo de braga, onde só aqui acontecem coisas esquisitas e se maltratam padres e outros, por isso dou graças a Deus de não ser da mesma terra que tu.


De Anónimo a 4 de Setembro de 2008 às 18:47
Ficariamos muito contentes se a comissão fabriqueira fosse da Paróquia, mas isso não acontece!!!!.... O grande problema da frêguesia é dos elementos que integram a comissão fabriqueira, pessoas estas com muita arrogância, falta de nível, prepotência, ditadores, (num contexto de simpatia).





De Anónimo a 4 de Setembro de 2008 às 19:06
Até podes ter um quê de razão, mas há uma coisa, os Padres mudam, mas a Fábrica fica, em nada se altera porque é da Paróquia, o mesmo não poderemos dizer da Confraria, que está limitada a quem ela pertence, os outros podem ser usados como eles quiserem.


De Anónimo a 1 de Setembro de 2008 às 21:27
É inaceitável que nos dias de hoje haja tanta ignorância.

Deviam ter vergonha do que dizem e do que fazem. Cresçam a apareçam, leiam, cultivem-se e deixem-se de palhaçadas.

A Capela não é vossa, é de todos e todos é a paróquia.

Assinado: de alguém que não é da Graça, nem de Braga, nem do Minho...


De Maria Bolacha a 3 de Setembro de 2008 às 21:41
Pois é caro passante, há povinho em braga que é deveras esquesito, e depois só sai disto.


De Ju a 1 de Setembro de 2008 às 23:32
Oh Jovem, pq é q n publicas os comentários todos? Tens alguma coisa a esconder, ou n gostas de ouvir verdades? Se n há nada a esconder, publicas os comentários todos, já agora, para a gente saber o que se passa.


De Filipe Costa a 2 de Setembro de 2008 às 22:52
Obrigado pelo elogio, quanto ao jovem, pois deu para subir o meu ego.
Quanto aos comentários até hoje ainda não houve nenhum que fica-se por publicar, pode é demorar mais um bocado, porque como eu trabalho nem sempre estou disponivel para ir á net e actualizar o blog.
Se tenho alguma coisa a esconder?!!! Não me vês aqui a usar o anonimato para dizer aquilo que penso e nem me vês a dizer que sou o dono da verdade. Apenas uso os factos e costuma-se dizer que contra factos não há argumentos.
Sempre ouvi dizer que a capela era privada e não é unica pois exis-te outra capela privada na freguesia, mas se os tribunais alegarem que a capela pertence e
sublinho ao PAÇO, claro que acataremos essa ordem como povo ORDEIRO E CIVILIZADO, pois 'a César o que é de César a DEUS o que é de DEUS'.


De anonimo a 4 de Setembro de 2008 às 03:28
É pá grande resposta... gostei!


De Maria Bolacha a 2 de Setembro de 2008 às 12:15
Vocês realmente não têm mais que fazer da vida, pq se tivessem não se punham com essas tretas, onde já se viu, só mesmo em Padim da Graça, n fosse ele abaixo de Braga. em todo o lado os bens destinados ao culto religioso é das Comissões Fabriqueiras, mas está visto que vocês como pessoas pouco inteligentes que são não sabem o que isso é, pq se soubessem n faziam tanto banzé, não é o Sr. Padre nem as testemunhas que ficam c a capela, é o povo. Aliás a forma como estão a falar das testemunhas e do sr. Padre só demonstra o baixo nível e a falta de cultura de algumas pessoas de Padim da Graça, e n só. Isto para não dizer de quase todos. Ante de abrirem a boca para dizer asneiras, informem-se correctamente, para n fazerem figura de burros, q é o q estão a fazer neste momento, ora eu enquanto pessoa, culta, informada e civilizada, vou imprimir cópia e vou eu informar-me da situação, e ver se é ou não da Fábrica, mas nem era preciso tanto, basta saber a história de Portugal na 1.ª decada de 1900, para perceber de quem é a capela, mas vocês são pessoas dotadas de pouco cultura, por isso não se pode pedir mais dos comentários ditos. Qdo descobrir alguma coisa eu digo, para esclarecer essas mentes que estão no escuro. Ah e afinal cheguei a uma bela conclusão, que a festa da Sra da Graça n passa de uma palhaçada, e que as lágrimas derramadas na batalha ou guerra das flores, são lágrimas de crocodilo, pq só assim se compreende como se pode tratar assim os outros, em especial o Sr. Padre e as testemunhas que n têm culpa da vossa ignorância. Façam mas é algo de util por voces abaixo ou entao pelos outros e deixem-se de estupidez
Cumprimentos


De Filipe Costa a 2 de Setembro de 2008 às 23:22
Boa noite Maria Bolacha.
Ainda bem que apareceu uma pessoa, culta informada e civilizada, para abrir os olhos e esclarecer a MAIORIA dos Padinenses .
Se é assim tão línear , tão simples e conciso, porque é que o padre, não fez tudo ás claras, sem ser preciso usar a mentira e sabendo que exis-te uma confraría que rege aquela casa? Eu sei e qualquer Padinense também sabe, nem é preciso dizer mais nada.
Sabe que há centenas de capelas prívadas por esse país fora?
Obrigado pela ajuda que se disponibilizou dar, mas acho que os tribunais serão competentes para julgar o caso.
Quanto á maneira como tratamos o padre, posso lhe dizer que fica pela metade em como ele nos têm tratado a nós e olhe que sei do que falo.
cumprimentos.


De Noé a 2 de Setembro de 2008 às 20:39
Viva:
Feliz ou infelizmente, a ignorância não existe só em Padim da Graça.
Em relação aos últimos comentários referentes á capela da Sra da Graça, quero dizer o seguinte:
Se acham o sr. abade tão boa pessoa, aproveitem que a partir de setembro fica livre, fiquem com ele e tenham bom proveito.
Já agora pelo mesmo preço levem também as testemunhas.
Se acham que as coisas só porque são do conselho económico, fazem delas coisas da freguesia, estão enganados.
Dou-vos como exemplo,quando foi preciso doar á junta da freguesia uns metros quadrados de terra,
para alargar(?) o caminho que leva á igreja, quem teve que dar a autorização foi o Paço.
Aos paroquianos, só se lhes dá a saber que se estão a realizar obras na igreja ou na residência paroquial, e que è preciso contribuir.
Como parece existirem muitas pessoas com grandes conhecimentos acerca do asssunto deixo-lhes aqui algumas perguntas que talvez possam ajudar a esclarecer o mesmo.
Não deveria o padre agir de acordo com aquilo que tanto apregoa, de verdade, transparência etc. e ter informado a paróquia e a confraria da Sra da Graça do que pretendia fazer?
Porque è que o padre se sentiu na obrigação de falar no assunto em 2 missas na igreja paroquial e na missa da capela disse á confraria que ali não era local
para estar a falar naquele asssunto?
Porque è que o padre diz que consultaram as pessoas mais velhas da freguesia, e quando nós as abordamos a única coisa que fazem é chorarem porque com elas ningém falou?
Porque diz o padre que a sua representada tem usufruído do referido prédio,procedendo á sua reparação, limpeza á vista de toda a gente, quando
todos sabem (menos os que tudo sabem mas não são de Padim da Graça), que têm sido as diversas confrarias que têm passado por aquela casa que têm feito tal trabalho?
Como podem as testemunhas confirmar tal coisa se, 2 deles foram membros durante décadas da fabriqueira e o outro é membro reconduzido do actual c. económico e lá nunca puseram o pé que não fosse para assistir à missa?
Perguntem aos irmãos da confraria, aos padres anteriores a este que passaram por esta paróquia, aos serviços centrais da diocese onde existe prestação de contas das confrarias, ao actual conselho económico, ao actual arcebispo se não têm sido as confrarias a zelar pela capela?
Perguntem ao conselho económico se nas suas contas estão incluidas receitas ou despesas referentes á capela?
Porque será que o padre não sabe falar verdade quando fala da confraria, dos irmãos da confraria e agora da capela?
Porque é que a ter que ser como ele fez, mais uma vez tenha sido a coberto de mais uma data de mentiras?
Em relação ás testemunhas concordo quando dizem
que os deixemos em paz, porque pelos vistos (segundo um deles já disse, assinou mas não sabia
o que estava a fazer),serão com certeza pobres de espirito.
Não está só em questão a nossa ignorância em relação ao que devem ser bens da igreja ou não, MAS RELAÇÃO AO QUE SE PASSA NA NOSSA TERRA ,NA NOSSA CAPELA NÃO RECEBEMOS LIÇOES DE PSEUDO-SABICHÕES E SOBRETUDO QUE AQUILO QUE SE FAÇA,
SEJA À LUZ DA VERDADE E NÃO EM NOME DA SEDE DE
VINGANÇA DUMA PESSOA QUE JÁ TEM IDADE PARA TER JUÍZO.
Alguém que é da Graça com muito orgulho!


De Maria Catita a 2 de Setembro de 2008 às 22:50
Oh amigo, então quero que me explique pq é que há documentos da capela em nome da Fábrica da Igreja em desde 1937. ah. Já lhes disse e volto a dizer estudem a historia de Portugal e será fácil de descobrir, mas pelos vistos preferem manter-se na ignorância. São mesmo dah. Ah e já agora desde que data é q a dita confraria dos falsos irmão, que choram lágrimas de crocodilo, q até ofendem a Santa tem personalidade jurídica?


De Maria Bolacha a 2 de Setembro de 2008 às 22:53
ui, ui que o noezinho ficou muito ofendidnho, que pena eu tenho de ti.


De Noé a 3 de Setembro de 2008 às 13:22
Viva
Cara maria bolacha, não me sinto ofendido, a minha revolta vai apenas para o facto de para se fazer o que se tem de fazer se use a mentira como único argumento.
Em relação a teres pena de mim, dispenso, talvez(apesar de não saber quem és) devas ter pena de ti, porque possivelmente como Maria ninguém te quer e como bolacha ningem te come.


De Maria Bolacha a 3 de Setembro de 2008 às 21:28
Por quem me tomas, até me sentia ofendida se tivesse de ser comida por ti desculpa lá. Mas há bem melhor. O mal de inveja e a dor de coto, doi muito n é.


De Um Padinense a 4 de Setembro de 2008 às 00:30
Amigo Noe
Com este tipo de comentários dispensas apresentações.
Se queres ter razão começa por respeitar as pessoas de maneira a seres ouvido.
Tem tento na lingua pois daqui a algum tempo quando todo o processo estiver concluido e o teu parcer sair perdedor, aparece no blog a pedir desculpa pela tua ignorância.


De UNDERTAKER a 4 de Setembro de 2008 às 03:00
caro amigo Filipe , tenho a dizer te que infelizmente somos um povo muito ignorante (segundo bolachas, anónimos e gentinha que não é da Graça)...
pois muito bem, prefiro viver na ignorância , que passar por esta realidade...onde já se viu, aparecer por aqui gente que nem é da terra, que se diz orgulhosa por não ter cá nascido nem vivido? não é que não esteja disposto a ouvir a opinião de outros, muito pelo contrario, até porque como já foi referido pelos HISTORIADORES (piadinha!!!!!!!)deste blog, vivemos numa Democracia e se soubermos minimamente as leis deste país, devemos respeitar a opinião do nosso semelhante.
Façam-me um favor: SE NÃO SÃO DA GRAÇA (o que me deixa sérias dúvidas, porque o vosso "paleio" é mesmo de PERFILHADOS, COMPADRIOS!), NÃO TÊM NADA QUE VIR PARA AQUI DAR A OPINIÃO SOBRE O QUE QUER QUE SEJA!!!
NÃO SÃO IRMÃOS DA Sra. DA GRAÇA, PORQUE SE O FOSSEM JAMAIS FALARIAM NESSE TOM GROTESCO E SECO DOS IRMÃOS DA CONFRARIA, ASSIM COMO DA PRÓPRIA CONFRARIA QUE TANTO ESTIMA E ZELA A NOSSA CAPELA...
É POR ESTAS E POR OUTRAS QUE A GRAÇA NÃO DESENVOLVE!!!
COM HABITANTES E "VISITANTES" QUE PARTILHEM DA VOSSA OPINIÃO , JAMAIS ESTE CANTINHO DO CONCELHO DE BRAGA SAIRÁ DO SITIO!!!
Finalizo, pedindo força e graça à Nossa Senhora da Graça para que tudo isto acabe o mais rápido possível , e que no fim de toda esta NOVELA TERTULIANA , Ela continue a ser de quem sempre a VENEROU DE CORAÇÃO E NÃO DE APARÊNCIA !!! certo?
AMIGO FILIPE, DEVES TER UMA CORAGEM PARA ENGOLIR COM ESTES COMENTÁRIOS ANTERIORES!!! Isso é o reconhecimento que a Senhora da Graça sabe ajudar quem sempre a amou!!!
BEM HAJA!!!
A CAPELA É NOSSA, A CAPELA É NOSSA, A CAPELA É NOSSA E HÁ-DE SER!!!!A CAPELA É NOSSA, A CAPELA É NOSSA, A CAPELA É NOSSA ATÉ MORRER!!!


De Maria Bolacha a 4 de Setembro de 2008 às 11:21
hi, hi, o teu comentário é de tal forma sharaaaannnn e extremista que nem merece comentário.


De batista BOMB a 4 de Setembro de 2008 às 13:44
Cara bolacha, niguém te pediu que gostasses ou não de comentários extremistas. Lamento informar-te que a única pessoa ignorante que eu encontro neste blog és tu! Será que és tão tapadinha que ainda não percebest o esquema do padre?

Pelos vistos também gostas de ser comida e levada na conversa.
Desde quando o comentário anterior está relacionado com extremismo?! Pelos vistos tu éq precisas de dar uma vista de olhos pelos livros de História. Infelizmente também há mais gente DAAAHHHHH como tu na Graça do que eu pensava!


De Maria Bolacha a 4 de Setembro de 2008 às 17:29
E quem te disse a ti que eu sou da Graça?


De anonimo a 4 de Setembro de 2008 às 20:57
Não vale a pena dizeres... basta ver o tipo de comentários para saber que uma pessoa assim tao dentro do assunto (ou nao) so pode ser da Graça!


De anonimo a 4 de Setembro de 2008 às 03:36
gostei tb...

qto às limpezas??

eles nem a igreja limpam vao agr limpar a capela! é de rir.

daqui a pouco as ervas chegam ao telhado!

p.s.: sou da graça com muito orgulho!!!


De Maria Bolacha a 2 de Setembro de 2008 às 23:09
Oh Senhor, ou jovem oh lá como queiras, atão a capela n é destinada ao culto religioso? Que eu saiba eu entro lá como já entrei por diversas vezes, sem ser impedida ou ter levado c uma queixa de invasão da propriedade, e não sou irmão da falsidade e da palhaçada, logo n me venha com a conversa de que a capela é privada, pq se n até eu vou para tribunal dizer que capela é minha e passo a fazer queixa de quem lá entrar. Poupem-me a tanta ignorância, e já agora gostava de saber, se como afirma que a capela sempre foi privada, pq é q existem documentos PUBLICOS desde 1937 em nome da Fábrica da Paróquia q por sinal é de todos os Paroquianos e n de meia duzia de irmaos de treta. era so o q mais faltav agora proibir os q n sao irmaos da treta de entrar na capela, pois eu já o fiz, e nunca ninguem me proibiu.


De Filipe Costa a 2 de Setembro de 2008 às 23:44
Desde que não ofendas podes-me tratar como quiseres. Não vou aqui entrar em diálogo com pessoa tão sabida pois já vi que fico a perder, por isso aqui acaba o meu comentário.
Eu simplesmente disse que sempre ouvi dizer que a capela é privada, e isso não impede o culto.
Já vi que não estás por dentro da realidade da freguesia quando te referes a meia dúzia de irmãos.
cumprimentos.


De Maria Bolacha a 3 de Setembro de 2008 às 11:09
Está enganado caro Filipe, eu sei bem da realidade, eu sei que são bastantes irmãos, mas também sei que apenas têm personalidade jurídica apenas desde 2003, o que não lhes dá o direito de adquirir a Capela, agora diga quem é o proprietário particular da capela, para a gente ficar esclarecida, é que se assim fosse haveria herdeiros e a única coisa que existe é referente à Comissão. Já agora se bem me recordo e foi já dito aqui no blogue o Sr. Padre sempre disse que era preciso legalizar a capela, em plena missa e eu ouvi e bem e já a mais de uma ano, não sei qual o vosso problema, se tinham tanta certeza de quem era a capela não sei pq n agiram mais cedo. Mas eu sei pq n o fizeram, pq esbarravam nas finanças, uma vez que ela já estava inscrita em nome da Fabriqueira desde 1937, agora mandem vir é com o Padre da altura que pelos vistos era de Padim se a memória n me falha, e com o Salazar. Só tenho a dizer que os Irmãos devem ter andado a nanar durante este tempo todo, em especial no ultimo ano e meio depois de o Sr padre ter falado em plena missa, e mais ainda por cima so adquiriram personalidade juridica nem a meia duzia de anos, agora se é de um particular tb n pode ser dos Irmãos certo? E já agora a maior parte das capelas particulares que conheço so com autorização do proprietario é que se la entra, e estao inseridas em casasa senhoriais, ou ja estiveram, a da Sra da Graça é demasiado grande para ser uma dessas situações.


De Noé a 3 de Setembro de 2008 às 19:51
Viva de novo!
Como católico fico feliz por saber que também és das que cumprem o mandamento que diz que devemos assistir á missa ao domingo.
Por outro lado fiquei desapontado, porque, pelo que dizes que ouviste o padre dizer, possivelmente serás das pessoas que está na missa a olhar para o lado para ver como a vizinha está vestida, em vez de estar atenta ao que o padre diz.
O que “dizes” ter ouvido em relação á legalização da capela, não é verdade, o que o padre falou referia-se á actualização dos estatutos da confraria da Sra da Graça ( também esses aprovados com mais uma grande mentira do padre), pelo deixo-te uma sugestão: continua a ir á missa mas procura estar mais concentrada na eucaristia, para depois não dizeres disparates em público.
Já agora podem continuar a chamar-nos ignorantes, tansos e mais tudo aquilo que vos apetecer, mas continuam sem responder á pergunta:
Porque fez o padre a escritura sem dar conhecimento quer á população, quer á actual confraria legitimamente eleita em sufrágio eleitoral depois de derrotar a lista do padre por claríssimos 978 votos contra 171 e precisamente 1 mês antes de bater as asas e ir embora sem deixar saudades?


De Anónimo a 3 de Setembro de 2008 às 23:31
Viva,
Como morador de Padim da Graça não posso deixar passar em branco este teu comentário.
"...ir embora sem deixar saudades...", ou é impressão minha ou então esqueces muito rápido o passado. Quando o actual pároco vinha fazer os sermões à capela na altura das festas s. graça era o melhor pároco da zona, dizia o povo todo contentem e orgulhoso por o ter como pregador. Quando passou a pároco da freguesia era do melhor, mas só porque foi necessário actualizar os estatutos da confraria, eleições para nova confraria e agora quer deixar todos os bens religiosos registados em nome da freguesia está tudo contra o homem.
Mas afinal a capela é da freguesia ou da confraria????
Trazem sempre a baila a mentira do pároco quando ele diz que a fabriqueira zelou pela capela, se fabriqueira é o povo de padim da graça então ele fala verdade pois até à bem pouco tempo as confrarias que por lá passaram não eram confrarias perante a lei, ora assim sendo era o povo. E mais também se fizeram obras na capela sem se consultarem os irmãos, lembro o revestimento cerâmico na vedação do adro, porque não se fez em capeamento de granito??? Mais de quem saiu a ideia de colocarem granito cinza no interior das ombreiras e padieiras na capela???? não tem nada a ver com o existente e ainda por cima cobrem o remate do azulejo sabe-se lá com quantos anos, está feio, quando não se sabe não se mexe. o mesmo se passa com as pias de água benta, mais valia estar quieto.
Sabes que acho, é que no meio de tudo isto há 3 ou 4 pessoas que tiveram que enfiar o rabinho entre as pernas aquando da aprovação dos novos estatutos e terem que ir a eleições, e por fim serem retirados ou substituídos Agora anda a injectar pobres coitados da actual confraria que enfim... e quando é necessário fazer barulho estão de tal maneira incendiados que nem o pároco dentro da própria capela respeitam. Sejam humildes, se vão à missa ao domingo, o que vão lá fazer, rezar a quem, pedir o quê?? a quem?? e comungar ... afinal são católicos, será que essa gente anda bem com eles mesmos.
Jesus disse ... prepara o teu caminho...
Até à próxima


De UNDERTAKER a 4 de Setembro de 2008 às 03:15
CARO AMIGO, quero avivar-lhe a memória, ou melhor, rectificar o seu comentário!!!
o sr. pároco, que é um grande orador, sim senhor, já há muito antes de se tornar responsável pela nossa paróquia e deixar de ser o capelão de serviço, tornara-se arrogante em qualquer homilia das eucaristias que celebrava. Os temas abordados durante a mesma estavam longe de se relaccionarem com o evangelho que era proclamado pelo padre. Por vezes era ofegante ficar calado durante uma missa, com a capela a abarrotar de gente e ouvir semelhantes disparates, que não eram para ali chamados....
por isso, que ninguem venha dizer, que tudo isto aconteceu após a história de legalizar os estatutos da confraria....infelizmente os anos foram passando, e a admiração que outrora toda a população de Padim da Graça sentia pelo Sr. Pároco desvairou-se....
infelizmente, é uma história com um FINAL INFELIZ!!!


De ZORRO a 5 de Setembro de 2008 às 01:17
Eu até digo mais. Ele nunca foi padre de paróquia e quando chegou á graça iludiu-se com o dinheiro e queria cada vez mais. A comissão de festas da sra da graça paga-lhe e bem mais de 1000 euros fora o dinheiro da missa e sermão que fica por 300 euros pelos serviços religiosos a comissão de festas de sto. adrião mais 1000 euros fora o sermão a dita confraria têm lhe dado bons folares no natal e ele uma ocasião ao entregar os envelopes para doação dentro da igreja, fez questão de avisar os pais das crianças que iam á comunhão solene para não colocarem notas pequenas. Na páscoa nem falêmos e então do dinheiro das missas em que ele exige logo o dinheiro ao pobre do sacristão independentemente das pessoas terem pago ou não a missa.
Agora pergunto eu é a confraria que tem culpa das pessoas fugirem da igreja ou é ele com os seus famosos sermões, que numa ocasião no dia das maês as tratou do piorio.
Outra questão. Porque não é o conselho económico a gerir essas verbas e a estipular um salário para o padre como faz qualquer conselho económico que até foi reconduzido por ele devido ao bom serviço prestado, pois está claro..
Porque razão muita gente deixou de ir aqui á missa e passou a ir a Braga?
Existe grupo de jovens e ele em vêz de os apoiar diz que o que é bom é o coro e não os jovens a abrilhantar a missa com as suas violas mais parece uma discoteca.
Estou como diz o Noé se ele é assim tão bom ele agora vai ficar livre, fiquem com ele.
Em conversas de bastidores já ouvi dizer que havia conversas de padres a dizer que não se importavam de vir para a graça pois aqui é que dá para ganhar dinheiro.
E o burro sou eu.....!!!


De Noé a 5 de Setembro de 2008 às 13:12
Viva de novo!
Acrescento que até o Paço vai ganhar com a saída do actual pároco porque se o novo padre cumprir na Graça como faz em Panoias que fica só com o dinheiro de duas intenções por cada missa celebrada e na Graça cada missa é celebrada no mínimo 6 intenções vezes 5 missas por semana, ao fim do mês vai dar um dinheirinho!!
Boa vai ela....!!!!!!!


De ROBIM DOS BOSQUES a 5 de Setembro de 2008 às 13:29
EH PÁ.....6X10 EUROS X30 dias, mais uns baptizados, e uns casamentos, 2 festas anuais a render mais de 1000 euros cada uma e ainda quer o dinheiro da capela!!!!
Eu tb quero ser padre, mas na Graça....


De Maria Bolacha a 4 de Setembro de 2008 às 18:08
é típico, aliás algum povo de Padim da Graça, como é do conhecimento do Concelho de braga, se não do distrito, já tem fama de expulsar os Padres todos, mas não são só eles há mais, mas eles são os mais comentados na cidade, não sei porquê. Quando um Padre novo vai para lá, é um espetaculo, é o melhor do mundo depois é o que se vê, mas tem acontecido sempre isso, não foi só com este. os anteriores também já foram todos assim. Por alguma razão não tiveram direito a um Padre só para a Paróquia, estão semi-anexos a Panoias e Mire de Tibães, os seus antigo rivais. Eu só tenho pena é do Padre Figueiredo e do Padre Marinho, que são as próximas vitimas, no ínicio vão ser um espetáculo, depois se verá. Oxalá esteja enganada e haja algum padre que saia de lá sem ser difamado.


De Noé a 4 de Setembro de 2008 às 19:44
Viva de novo!
Começo a pensar que nem disfarçar sabes.
Acho que és da Graça, daquelas pessoas que não conhecem o que se cá passa, mas, no entanto, consegue falar de qualquer assunto como se fosse o maior especialista do mundo.
Anota aí:
a) o actual padre vai embora, não expulso, mas sim por motivos de idade. ( está escrito no despacho do sr. Arcebispo);
b) o anterior, sr. padre Domingos, deixou a freguesia porque infelizmente faleceu ( se não fosse isso, possivelmente, ainda hoje seria o nosso pároco)
c) o padre Delfim foi pároco ( antes do padre sr. Domingos) durante 9 meses e saiu porque o sr. Arcebispo o tirou de cá.
d) antes do padre Delfim esteve cá o sr.padre Mendes de Carvalho durante 33 anos e foi embora a seu pedido.
Pelo menos, nos últimos 50 anos, não expulsamos nenhum padre.
Como vês para além de bolacha também és convencida, ignorante e mal informada em relação aos padres que paroquiaram a nossa freguesia!
Passa a falar só daquilo que tiveres a certeza, em vez de estares neste blog só à procura de arranjares confusões.


De Maria Bolacha a 4 de Setembro de 2008 às 20:00
Oh Noé, eu já disse que não sou da Graça, no entanto, só se ouve falar que na Graça, fazem a vida negra aos Padres, e também disse que não é só na Graça, porque não é. Mas da Graça é o que se ouve comentar, em mais alta voz do que as outras, tenho pena é que só leias o que te interessa, ou interpretes as coisa à tua maneira.


De Maria Bolacha a 4 de Setembro de 2008 às 20:03
Eu não tenho culpa que Padim da Graça ande nas bocas do "mundo", digo, cidade de Braga e arredores, pelas piores razões, e eu não sou muita gente, apenas me limito a transmitir o que oiço. E já agora mais uma vez friso que não sou da graça, nem vivo na Graça, mas ao lado.


De Noé a 4 de Setembro de 2008 às 20:47
Cara bolacha(maria),para não fazeres figuras tristes fala do que sabes e não do que ouves dizer, porque, corres o risco de fazeres afirmações falsas e depois tens que vir atrás corrigir o que nem sempre fica bem a uma pessoa culta como tu.
Já agora um pequeno aparte:
Será que não és familiar do padre, porque da forma como o defendes e como arranjas desculpas para aquilo onde és apanhada em contra pé, me fazes lembrar muito ele.
Obrigado, aos teus pais, por te terem dado outra terra que não a nossa para nasceres, porque com tanta desgraça por cá, se ainda tivessemos que te aturar, coitada desta terra a beira rio plantada.


De Maria Bolacha a 4 de Setembro de 2008 às 21:08
Carissimo, nunca aqui me viste defender o Padre, nem o conheço pessoalmente, apenas das missas e dos seus sermões, o mais revoltante de ver nisto tudo como já referi mais à frente, é ver gentinha a tratar, as pessoas, algumas delas com uma certa idade, que mereciam mais respeito da vossa parte, isso é que revolta. Porque ninguém tem culpa muito menos os velhotes que vocês tenham reagido a quente, isso sim é o que mais me tem levado a agir com revolta contra vocês todos, e já agora estou bem pertinho de voces para saber do que se passa, é por uma nesga que não moro na Graça. Mas lá está continuas a ler o que queres e bem te apetece


De triple h a 5 de Setembro de 2008 às 15:25
o k s diz por aí nao interessa para o caso...0 k interessa é k o padre enganou o povo da graça e nao percebo como ainda ha pessoas k nao perceberam isso....mas um dia destes faço-te um desenho....


De Anónimo a 6 de Setembro de 2008 às 15:11
Ok depois explicas pq é que a Confraria ficou quietinha no sitio dela e n resolveu logo o assunto, foi preciso esperar 100 anos?????? PorquÊ???? se exite confraria desde 1917, só resta uma solução foi a confraria que entregou à Fabriqueira, desculpem o desabafo, mas é à conclusão que chego despois de ler este relambório todo


De a 6 de Setembro de 2008 às 16:30
Sem querer ofender ninguém, pois está claro, e sem querer meter mais achas para a fogueira, da freguesia de onde sou, em Braga, também sempre ouvi dizer isso.


De Anónimo a 6 de Setembro de 2008 às 16:31
Ai interessa, interessa, porque isto transformou-se numa luta, contra o padre, ou será que não gostam de ouvir algumas verdades?


De Maria Bolacha a 4 de Setembro de 2008 às 11:24
Pelos vistos és tu que estás na missinha a nanar, pq há aí um outro pADINENSE, que diz o mesmo, cujo comentário não aparece aqui neste post, mas se consultares os arquivos do mês de Agosto vais ver lá, que diz o mesmo, que o Padre disse "é preciso legalizar os bens da Paróquia", se calhar vais à missinha pensar nos animaizinhos que tens no barquito de borracha sem remos, olha é o que dá.


De PARA TI BOLACHA a 4 de Setembro de 2008 às 14:55
SINCERAMENTE NÃO PERCEBO O QUE FAZES AQUI NO BLOG!!!

ESTÁS AQUI PARA ATACAR QUEM CÁ VEM E NÃO LUTAS POR UM IDEAL...ESTÁ NA ALTURA DE SAIRES DA SOMBRA DA BANANEIRA E TE PORTARES COMO GENTE DECENTE QUE ÉS....SE TENHO ANIMAIS EM CASA, O PROBLEMA É MEU...
QUANDO À MINHA PRESENÇA NAS EUCARISTIAS, FICA SABENDO QUE ESTOU LÁ A 100%....UMA PESSOA TÃO MAL EDUCADA COMO TU É QUE NUNCA LÁ DEVERIA ENTRAR....
VALHA-ME NOSSA SENHORA...DEVES TE ACHAR....
PFFFFFFFFFFFFFFFF


De Anónimo a 4 de Setembro de 2008 às 23:07
maria bolacha tens muita categoria e verdade naquilo que dizes, os padres têm sido mal tratados sim. Evidentemente que se trata de uma minoria, pessos pequeninas, donas da verdade e empolgadas com a onda. a saber o Padre Mendes foi embora contra a vontade do bispo, será que foi por se sentir bem cá na terra? O padre delfim, depois de bem recebido, foguetes e casa renovada saíu por vontade própria. Será que foi bem tratado? Nomeadamente quando num domingo de Sr. da Graça não leu a nomeação para a comissão de festas do ano seguinte por esta não lhe ter sido entregue atempadamente. Muito mal tratado nesse dia e seguintes. Do padre domingos não vale a pena falar porque raramente celebrou missa na capela às 10h por incompatibilidade com tibães, já na altura pedia ajuda ao actual e quanto a este devo-vos dizer, desde filho da p...., a promessas de porrada a faltas de educação inqualificaveis sofreu destes e aqueles que se dizem tão queridos da senhora. Já agora parabéns pelo paralelismo, noe foi aquele que teve como missão levar os animais a bom porto.


De Noé a 5 de Setembro de 2008 às 13:46
O padre Mendes foi embora contra a vontade do bispo, por causa de problemas arranjados pela sua empregada, que inclusivé tiveram de ser resolvidos em tribunal.
O padre Delfim foi recebido como dizes, mas já vinha com o tempo determinado préviamente inclusivé, do conhecimento da com. fabriqueira, que só disseram que sabiam quando se falou que se ia embora.
Quanto ao que dizes do saudoso padre Domingos posso te dizer que era uma pessoa com quem tinha bom relacionamento e que foram mais as vezes em que ele se queixou de não haver um padre que ao domingo o ajudasse do que das pessoas da freguesia.
Quanto aos animais ficas-me a dever a tua existência.


De Anónimo a 6 de Setembro de 2008 às 15:51
hi, hi, hi, boa mike, gostei


De anonimo a 4 de Setembro de 2008 às 03:37
"irmão"?

com o nome Maria Bolacha acho que seria irmã...

ok!


De moises costa a 3 de Setembro de 2008 às 09:24
Bom dia amigo Filipe.
Não haverá registos antigos na Capela ou em outra instituição publica a atestar o contrário?
A capela todo o povo da Graça diz, e bem dito, é nossa, mas também precisamos agora da dar conhecimento de registos a atestar essa afirmação senão também estamos a afirmar uma coisa que perante a lei não tem validade.
Se descobrir alguma coisa gostaria que me enviasse para o meu mail moises0costa@gmail.com ou entram um novo post com essa informação.
Ficando a aguardar, um abraço


De Filipe Costa a 3 de Setembro de 2008 às 12:54
Bom dia amigo Moisés.
Não me cabe a mim, dar resposta a tudo e a todos, pois unicamente sou um membro da confraria e não seu representante, como sabe. Estou plenamente de acordo que a capela seja legalizada, mas não na base de um documento como o nosso padre fez, sem dar conhecimento a ninguém e quanto a isso basta lêr o comentário do 'noé'.
A razão da contestação da confraria foi baseada na falsidade daquele documento e em documentos e cartas de arcebispos antigas a dar louvores á confraria e á sua capela.
Claro que esses documentos já estão em mãos de um advogado e é tão simples como isto. Se o tribunal disser que a capela não pertence á confraria, pois que seja a quem de direito e de certeza que a confraria acatará essa decisão com serenidade.
Portanto não vejo razão para tanto 'banzé'. Deixem as coisas tomar os seus rumos legais e depois como eu já disse o seu a seu dono.
cumprimentos.


De Anónimo a 3 de Setembro de 2008 às 23:55
Mas Filipe
Esses documentos e cartas de arcebispos antigas a dar louvores á confraria e á sua capela, sabiam eles que de confraria só tinham o nome???
Em termos legais não existia registo de quem lá estava nem de quem por lá passou.
Recodamos que confraria propriamente dita só após as eleições de 2008.
E agora pergunto, essas cartas se são dirigidas a um grupo de pessoas ditas como cofraria (não registada então não legal) perante um tribunal, que poderes tem??


De Filipe Costa a 4 de Setembro de 2008 às 22:49
Eu não sou a pessoa indicada para lhe responder a isso. Por isso mesmo já foi entregue a pessoas competentes para tratar disso. Logo que eu tenha mais dados colocarei aqui no blog.
cumprimentos.


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.arquivos

. Julho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Abril 2012

. Junho 2011

. Maio 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.posts recentes

. As contas (des)aprovadas ...

. Festa de Nª. Sra. da Graç...

. O famoso Grilo.

. Liberdade de expressão.

. Festa da Sra. da Graça 20...

. Padim da Graça em chamas

. Graça é festa

. Festa da Sra da Graça Onl...

. 'Auto do baile dos Reis'

. A Graça é linda

.links

blogs SAPO

.as minhas fotos